SINDICATO DOS SERVIDORES

DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

DO ESTADO DA BAHIA

Data: 24/03/2017

Comissão discute novo Plano de Cargos e Salários da ALBA

A comissão criada para elaborar o novo Plano de Cargos e Salários para os funcionários da Assembleia Legislativa da Bahia, se reuniu mais uma vez nesta quarta-feira (23), para discutir o projeto

reuniaocomissãofotoalbaA comissão criada para elaborar o novo Plano de Cargos e Salários para os funcionários da Assembleia Legislativa da Bahia, se reuniu mais uma vez nesta quarta-feira (23), para discutir o projeto

Durante a reunião, presidida pelo deputado Luciano Simões Filho, o presidente do SINDSALBA, Gilmar Carneiro, o diretor Financeiro, Flávio Abreu e o assessor jurídico, José Amandou, apresentaram um plano de ação, com comparativos salariais entre legislativos do Brasil, sugestões de tabela de vencimentos básico, níveis de carreira e critérios de enquadramento. “Apresentamos um estudo realizado pelo sindicato, para mostrar a comissão que  é possível um novo PCS que contemple servidores ativos e inativos”, destaca Cunha.

Na próxima reunião, que ficou marcada para o dia 5 de abril, as propostas do SINDSALBA e da ALBA serão comparadas e analisadas juridicamente. “Com a parte jurídica resolvida, vamos começar a trabalhar na tabela de vencimentos e no impacto financeiro que as mudanças causarão no orçamento da Asselmbleia Legislativa”, pontuou o presidente da comissão, Luciano Simões Filho.

A comissão para elaborar o novo PCS foi criada em ato administrativo nº 1.182/2017 pelo presidente da ALBA, deputado Ângelo Coronel, e publicado no Diário Oficial do Estado – Caderno do Legislativo, página 23, do último dia 17 de março. A comissão é formada pelos deputados Luciano Simões Filho e Alex Lima, os servidores Francisco Raposo, Márcio Roberto Santos, Geraldo Mascarenhas, João Carlos Pinheiro, Otto Emanuel Filho e os diretores do SINDSALBA e ASSALBA, Gilmar Carneiro, Flávio Abreu e Armando Velloso.

A comissão terá 90 dias para finalizar o seu trabalho, sendo renováveis por mais 90 dias.




Comentários